Notícias

Liturgia – junho

26/06/2020
Por  ANEC Comunicação

DOMINGO DO MARTÍRIO DOS APÓSTOLOS PEDRO E PAULO 2020

Para acessar, clique aqui.

Domingo da fé que vence o medo- 12° do Tempo Comum–2020

Domingo da Compaixão de Jesus e da Missão dos apóstolos – 11° do tempo comum–2020

Roteiro: Penha Carpanedo, da Congregação Discípulas do Divino Mestre (Apostolado litúrgico), membro da Rede Celebra de animação litúrgica.

Por prevenção, não vamos à comunidade para Celebrar o Dia do Senhor, mas podemos celebrar na pequena Igreja da nossa casa, e nos alegrar com a presença de Jesus em nossa mesa.

Abaixo, o roteiro:

Clique na opção que deseja e baixe o roteiro:

11° DOMINGO DO TEMPO COMUM 2020 – VERSÃO PARA CELULAR

11° DOMINGO DO TEMPO COMUM 2020 – VERSÃO PARA IMPRESSÃO

SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS, 19 de Junho de 2020

SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS, 19 de Junho de 2020
CORAÇÃO DIVINO QUE NOS HUMANIZA
“…aprendei de mim, que sou tolerante e humilde de coração” (Mt 11,29)
Texto Bíblico: Mateus 11,25-30
1 – O que diz o texto?
Uma das devoções que tiveram (e continua tendo) mais êxito ao longo da história da Igreja é a do Sagrado Coração de Jesus. As “paredes” do universo estão cheias do eco que as palavras da famosa jaculatória deixaram – “Sagrado Coração de Jesus, eu confio em vós”. São incontáveis as vezes que foram pronunciadas, e imensuráveis a fé de que foi portadora.
Graças ao Coração de Jesus, entronizado em milhares de casas e colocado na porta de milhões de lares, se manteve firme a experiência de prolongar a humanidade de Jesus em nossas relações cotidianas, a vinculação do Evangelho com a vida concreta, a vivência do amor, uma maneira original e inspiradora de se situar no mundo (trabalhos, atividades, compromissos…), a sintonia com a Presença Providente de Deus…
Para muitos de nossos contemporâneos, causam certa resistência às representações que mostram Jesus com o coração transpassado e, com frequência, rodeado com uma coroa de espinhos. Se quisermos atualizar esta devoção e encontrar um sentido que responda aos anseios de muitas pessoas de hoje, é necessário deixar de concentrar nosso olhar no “coração físico” de Jesus e recuperar o sentido bíblico e amplo do coração, como centro de nossa afetividade e de nossas decisões mais íntimas. Neste sentido, o Coração de Jesus revela a misericórdia de Deus que se expressa em todas as palavras e atos do Mestre de Nazaré.
A imagem do Coração de Jesus, em sua origem, fala de amor, com maiúsculas. O Amor. Não uma imagem suave das coisas nem uma aproximação só emocional à fé, mas o Amor, que dizemos que é Deus, e que se faz visível em Jesus. Amor verdadeiro, que é uma maneira original de olhar a realidade, conhecendo-a, assumindo-a e comprometendo-se com ela. É assim que Deus nos olha. É assim que Jesus nos olha.
Seu coração se rompeu numa cruz, mas continua pulsando já ressuscitado. E essa pulsação é hoje clamor em nossa história e nosso presente.
2 – O que o texto diz para mim?
Jesus vivia a partir de seu coração e contagiava com a força poderosa de seu amor e de sua entrega.
Por isso, a melhor devoção ao Sagrado Coração de Jesus é “entrar em Seu coração”, é sentir o amor que queimava n’Ele; é me sentir amada por Ele, é aprender que o caminho do verdadeiro seguimento não é um ato de piedade, mas uma atitude de vida no amor. É descobrir que a verdade das “Nove primeiras Sextas-feiras” não se restringe em “confessar e comungar”, mas está no aprender a amar como Ele me amou.
Estou no coração de Cristo. Estou no Amor de Deus. Fui introduzida na Sagrada Humanidade d’Aquele que, sendo Deus, humanizou-se e se fez semelhante a mim para que eu pudesse me sentir n’ Ele e me tornar um pouco mais humana.
Uma devoção ao Coração de Jesus que não me conduz a estabelecer novas relações humanas, prolongando o modo humano de ser e de viver de Jesus, torna-se uma devoção vazia, estéril, marcada por uma piedade alienante e alienada.
Na minha cultura atual, a imagem do coração perdeu muito de sua expressão, tornando-se muito banalizado: corações nas emoções, nos desenhos, talhados em árvores, nas taças e chaveiros; corações em canções, rompidos, roubados, feridos, apaixonados, pesados, leves; corações que sentem, e outros insensíveis. O coração parece como um depósito de sentimentos.
Por outro lado, vivo um contexto de muitos “corações de pedra”, intransigentes, cheios de ressentimentos e juízos implacáveis, corações fechados em jaulas de pré-juízos e de suspeitas, que acabam envenenando as relações e rompendo os laços humanos.
3 – O que a Palavra me leva a experimentar?
A devoção ao Coração de Jesus pode me ajudar a descobrir as enormes possibilidades de meu próprio coração. O Coração divino que humaniza meu coração, tornando-o aberto e sensível a tudo o que é humano; ao mesmo tempo, ativa em um coração que faz solidário e comprometido a afastar de minhas relações tudo o que desumaniza: fechamento, intolerância, julgamento, preconceito, ódio…
O Coração de Jesus me capacita olhar a realidade, compreender cada pessoa em sua situação e viver oblativamente, a partir da gratidão e da responsabilidade. Ao sentir o pulsar de meu coração em sintonia com o Coração de Jesus me ajuda a recuperar o “humanismo” que estou perdendo.
Humanizar meu coração para humanizar as relações.
No sentido bíblico, “coração” é uma palavra primordial; ela me remete ao mais profundo e vital de minha essência e existência. O coração designava o complexo mundo interior do ser humano.
coração profundo é o centro de meu ser, o meu cerne mais íntimo, o coração do coração, que não consiste no sentimento, mas no lugar do encontro com Deus. A antropologia bíblica considera o coração como o interior do ser humano, num sentido muito mais lato que o das línguas latinas, no qual o coração evoca a vida afetiva. Trata-se do centro existencial que permite à pessoa orientar-se como um todo e plenamente em direção a Deus e ao bem.
Recordações, pensamentos, projetos e decisões são alguns dos componentes essenciais desse órgão vital por excelência. O que acontece no coração tem caráter decisivo. “O mistério interior do ser humano, tanto na linguagem bíblica como no não bíblico, se expressa com a palavra coração” (Xavier León-Dufour).
O despertar da identidade única de cada pessoa se dá no santuário de seu interior, que é o coração. Nele está estampada a imagem e semelhança divinas, pois no coração está gravada a imagem divina oculta. São Serafim de Sarov o denomina “o altar de Deus”.
4 – O que a Palavra me leva a falar com Deus?
Senhor, “o sentido de minha vida não é outro que a busca deste lugar do coração” (Olivier Clément). Ou seja, no centro de mim mesma, unificando meu ser, está o coração, o “cofre” onde se guarda – oculta o que é mais nobre e rico em mim. Por isso Jesus dava tanta importância ao coração“a boca fala daquilo que está cheio o coração” (Lc 6,45); “Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a Deus” (Mt 5,8).
coração é uma dessas palavras nas quais toda a multiplicidade se torna uno.
É ele que possibilita a pessoa chegar à unificação de todo o seu ser, integrando a corporalidade, a afetividade, a sensibilidade, a razão…, para além da bela expressão de Pascal: “O coração tem razões que a razão não conhece”. O fato é que há “olhos no coração” que permitem compreender o que nem os olhos do corpo, nem a razão são capazes de perceber: “Rogo a Deus que ilumine os olhos dos vossos corações, para que conheça qual é a esperança à qual fostes chamados” (Ef 1,18).
Enfim, o coração do ser humano é a própria fonte de sua personalidade consciente, inteligente e livre. É o lugar de suas escolhas decisivas, fonte das bem-aventuranças, santuário da ação misteriosa de Deus e do encontro com Ele. Por isso, chegar ao lugar do coração é dom de Deus.
5 – O que a Palavra me leva a viver?
Talvez o resumo mais belo do que gera a oração do coração seja o que disse São João Crisóstomo: “O coração absorve o Senhor, e o Senhor absorve o coração, e os dois se fazem uno”.
A intimidade não é fechar-se em si mesmo, mas abertura máxima. A partir do centro do coração, o orante se abre ao coração da realidade.
– Deixar “transparecer” meu coração na vivência cotidiana…
Fonte: 
Bíblia Novo Testamento – Paulinas: Mateus 11,25-30
Pe. Adroaldo Palaoro, sj
Sugestão: 
Música: Sagrado Coração de Jesus
Autor: Jonny
Intérprete: Jonny
CD: Um toque de fé
Gravadora: Paulinas Comep
Duração: 03:04

 

CELEBRAÇÃO DOMINICAL DA PALAVRA: 11° DOMINGO DO TEMPO COMUM

CELEBRAR EM CASA
DOMINGO DA COMPAIXÃO DE JESUS E DA MISSÃO DOS APÓSTOLOS
11° do Tempo Comum – 2020

Por prevenção, não vamos à comunidade para Celebrar o Dia do Senhor, mas podemos celebrar na pequena Igreja da nossa casa, e nos alegrar com a presença de Jesus em nossa mesa.

Abaixo, o roteiro:

Clique na opção que deseja e baixe o roteiro:

11° DOMINGO DO TEMPO COMUM 2020 – VERSÃO PARA CELULAR

11° DOMINGO DO TEMPO COMUM 2020 – VERSÃO PARA IMPRESSÃO

 

Tríduo e Momento de Adoração Solenidade de Corpus Christi

1º DIA DO TRÍDUO EM PREPARAÇÃO PARA A SOLENIDADE DE CORPUS CHRISTI

(Prepare uma mesa com: toalha, vela, Bíblia aberta na citação, crucifixo e um símbolo eucarístico)

Leitor: Se, por um lado, não é possível compreender o Mistério da Santíssima Trindade, por outro lado, pode- se perceber o seu sentido: é um Mistério de Amor e de Comunhão entre as Três Divinas Pessoas. Jesus, na última ceia, instituiu o memorial da sua Páscoa. Na fração do pão, disse: “Tomai e comei, é o meu Corpo”. Sobre o cálice com vinho, disse: “Tomai e bebei, é o meu sangue”. Assim, por estas palavras consecratórias, quis estender aos seus discípulos esse mistério de Amor e de Comunhão: “Fazei isto em memória de mim”.

Entoemos o hino Eucarístico https://www.youtube.com/watch?v=QCXjy84undk

 

Deus de amor, nós te adoramos neste Sacramento. Corpo e Sangue que fizeste nosso alimento.

És o Deus escondido, vivo e vencedor.

A teus pés depositamos todo nosso amor. Meus pecados redimiste sob a tua cruz.

Com teu Corpo e com teu Sangue, ó Senhor Jesus!

Sobre os nossos altares, Vítima sem par. Teu divino sacrifício queres renovar!

No Calvário se escondia tua divindade.

Mas aqui também se esconde tua humanidade

Creio em ambas e peço, como o bom ladrão. No teu reino, eternamente, tua salvação!

Creio em ti ressuscitado, mais que São Tomé. Mas aumenta na minh’alma o poder da fé.

Guarda a minha esperança, cresce o meu amor. Creio em Ti ressuscitado, meu Deus e Senhor!

Ó Jesus, que nesta vida pela fé eu vejo. Realiza, eu te suplico, este meu desejo.

Ver-te, enfim, face a face, meu divino amigo. Lá no céu, eternamente, ser feliz contigo!

Dirigente: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Dirigente: A graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam e permaneçam sempre conosco. Todos: Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo Eucarístico.

Todos: Senhor Jesus Cristo, neste admirável sacramento nos deixastes o memorial da vossa paixão. Dai-nos venerar com tão grande amor o mistério do vosso Corpo e do vosso Sangue, que possamos colher continua- mente os frutos da vossa redenção. Vós que sois Deus com o Pai, na unidade do Espírito Santo. Amém.

Leitor: PROCLAMAÇÃO DO EVANGELHO SEGUNDO JOÃO 6,32-35

32 Jesus respondeu: “Em verdade, em verdade, vos digo: não foi Moisés quem vos deu o pão do céu. É meu  Pai quem vos dá o verdadeiro pão do céu. 33 Pois o pão de Deus é aquele que desce do céu e dá vida ao mundo”. 34 Eles então pediram: “Senhor, dá-nos sempre desse pão!” 35 Jesus lhes disse: “Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim não terá mais fome, e quem crê em mim nunca mais terá sede. Palavra da Salvação. Todos: Glória a Vós, Senhor. (Breve pausa e partilha da Palavra)

OS SÍMBOLOS DA EUCARISTIA (O PÃO E O VINHO – CATIC 1333)

Dirigente: “Encontram-se no cerne da celebração da Eucaristia o pão e o vinho, os quais, pelas palavras de Cristo e pela invocação do Espírito Santo, se tomam o Corpo e o Sangue de Cristo. Fiel à ordem do Senhor, a Igreja continua fazendo, em sua memória, até a sua volta gloriosa, o que ele fez na véspera de sua paixão: “Tomou o pão…” “Tomou o cálice cheio de vinho…” Ao se tomarem misteriosamente o Corpo e o Sangue de Cristo, os sinais do pão e do vinho continuam a significar também a bondade da criação. Assim, no ofertório damos graças ao Criador pelo pão e pelo vinho (Sl 104 [103],13-15), fruto “do trabalho do homem”, mas antes “fruto da terra” e “da videira”, dons do Criador. A Igreja vê no gesto de Melquisedec, rei e sacerdote, que “trouxe pão e vinho” (Gn 14,18), uma prefiguração de sua própria oferta”.

AÇÃO DE GRAÇAS PELO DOM DA EUCARISTIA

Dirigente: Senhor Jesus, nós vos bendizemos, glorificamos o vosso nome e damos graças pelo vosso amor revelado na última ceia. Se, nesse momento, estamos impossibilitados de vos receber sacramentalmente, cresce em nós, a cada dia, o desejo de estarmos unidos a vós e aos nossos irmãos e irmãs. Assim, a força da comunhão nos anima e enche de esperança. Vós que sois Deus, com o Pai, na unidade do Espírito Santo. Amém.

(Pode-se pensar em um gesto concreto a ser realizado a favor da família)

Dirigente: Graças e louvores sejam dados a cada momento. Todos: Ao Santíssimo e Diviníssimo Sacramento.

PAI NOSSO… AVE-MARIA… GLÓRIA AO PAI, E AO FILHO E AO ESPÍRITO SANTO

Dirigente: Que Deus Pai nos invada com o seu Amor e nos fortaleça. Amém. Que Jesus Cristo faça o nosso coração arder de zelo e amor pela Eucaristia. Amém. Que o Espírito Santo nos ilumine com a sua Divina Luz. Amém. Abençoe-nos o Deus Todo Poderoso e Misericordioso: Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

(Sugestão de canto final: Queremos Deus – https://www.youtube.com/watch?v=Ub8hXyykQRk)

 

2º DIA DO TRÍDUO EM PREPARAÇÃO PARA A SOLENIDADE DE CORPUS CHRISTI

(Prepare uma mesa com: toalha, vela, Bíblia aberta na citação, crucifixo e um símbolo eucarístico)

Leitor: “A Eucaristia é o memorial perene da Paixão de Jesus Cristo, o cumprimento perfeito das figuras da Antiga Aliança e o maior de todos os milagres que Cristo realizou. É ainda singular conforto que ele deixou para os que se entristecem com a sua ausência” (Sto Tomás de Aquino, Opusculum 57, lect. 1-4).

Entoemos o hino Eucarístico https://www.youtube.com/watch?v=opJz6z3ayeQ

 

Glória a Jesus na hóstia santa Que se consagra sobre o altar E aos nossos olhos se levanta Para o Brasil abençoar

Que o Santo Sacramento Que é o próprio Cristo Jesus Seja adorado e seja amado Nesta terra de Santa Cruz!

Glória a Jesus prisioneiro Do nosso amor a esperar Lá no sacrário o dia inteiro

Que o vamos todos procurar

Glória a Jesus, Deus escondido Que, vindo a nós na comunhão Purificado, enriquecido

Deixa-nos sempre o coração

Glória a Jesus, que ao rico e ao pobre Se dá na Hóstia em alimento.

E faz do humilde e faz do nobre Um outro Cristo em tal momento!

Glória a Jesus na eucaristia Cantemos todos sem cessar

Certos também que de Maria Bênçãos a pátria há de ganhar

Dirigente: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Dirigente: A graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam e permaneçam sempre conosco. Todos: Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo Eucarístico.

Todos: Senhor Jesus Cristo, neste admirável sacramento nos deixastes o memorial da vossa paixão. Dai-nos venerar com tão grande amor o mistério do vosso Corpo e do vosso Sangue, que possamos colher continua- mente os frutos da vossa redenção. Vós que sois Deus com o Pai, na unidade do Espírito Santo. Amém.

Leitor: PROCLAMAÇÃO DO EVANGELHO SEGUNDO JOÃO 15,1-5

1 “Eu sou a videira verdadeira e meu Pai é o agricultor. 2 Todo ramo que não dá fruto em mim, ele corta; e todo ramo que dá fruto, ele limpa, para que dê mais fruto ainda. 3 Vós já estais limpos por causa da palavra que vos falei. 4 Permanecei em mim, e eu permanecerei em vós. Como o ramo não pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira, assim também vós não podereis dar fruto se não permanecerdes em mim. 5 Eu sou a videira e vós, os ramos. Aquele que permanece em mim e eu nele, esse dá muito fruto; pois sem mim, nada podeis fazer. Palavra da Salvação. Todos: Glória a Vós, Senhor. (Breve pausa e partilha da Palavra)

A INSTITUIÇÃO DA EUCARISTIA E SEU SENTIDO ( CATIC 1340.1344)

Dirigente: “Ao celebrar a última Ceia com seus apóstolos durante a refeição pascal, Jesus deu seu sentido definitivo à páscoa judaica. Com efeito, a passagem de Jesus a seu Pai por sua Morte e sua Ressurreição, a Páscoa nova, é antecipada na ceia e celebrada na Eucaristia que realiza a Páscoa judaica e antecipa a Páscoa final da Igreja na glória do Reino […] Assim, de celebração em celebração, anunciando o Mistério Pascal de Jesus “até que ele venha” (1Cor 11,26), o povo de Deus em peregrinação “avança pela porta estreita da cruz” em direção ao banquete celeste, quando todos os eleitos se sentarão à mesa do Reino”.

SÚPLICA A JESUS EUCARÍSTICO

Dirigente: Cristo Jesus, Sacerdote da nova e eterna Aliança, que no altar da cruz oferecestes ao Pai um sacrifício perfeito, humildemente vos suplicamos: ensinai-nos a oferecer convosco este sacrifício puro e santo; associai-nos ao vosso sacrifício, como oferenda agradável a Deus Pai; e congregai na unidade do vosso Corpo os que saciais com o mesmo pão celestial. Vós que sois Deus, com o Pai, na unidade do Espírito Santo. Amém.

(Pode-se pensar em um gesto concreto a ser realizado a favor dos mais necessitados)

Dirigente: Graças e louvores sejam dados a cada momento. Todos: Ao Santíssimo e Diviníssimo Sacramento.

PAI NOSSO… AVE-MARIA… GLÓRIA AO PAI, E AO FILHO E AO ESPÍRITO SANTO

Dirigente: Que Deus Pai nos invada com o seu Amor e nos fortaleça. Amém. Que Jesus Cristo faça o nosso coração arder de zelo e amor pela Eucaristia. Amém. Que o Espírito Santo nos ilumine com a sua Divina Luz. Amém. Abençoe-nos o Deus Todo Poderoso e Misericordioso: Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

(Sugestão de canto: Por um pedaço de pão Pe. Zezinho – https://www.youtube.com/watch?v=_wV4pBzIMw4)

 

3º DIA DO TRÍDUO EM PREPARAÇÃO PARA A SOLENIDADE DE CORPUS CHRISTI

(Prepare uma mesa com: toalha, vela, Bíblia aberta na citação, crucifixo e um símbolo eucarístico)

Leitor: Nossa vida está marcada por muitas presenças, mas também por muitas carências. Jesus, sabendo que iria consumar a sua obra e que voltaria para o Pai, mostrou aos discípulos o caminho eficaz para superar a sua aparente ausência. Além disso, prometeu permanecer com eles até o fim dos tempos. Cumpriu a sua promessa, instituindo a Eucaristia e enviando, junto com o Pai, o Espírito Santo.

Entoemos o hino Eucarístico https://www.youtube.com/watch?v=9ioKtkBXqnA

 

Cantemos a Jesus Sacramentado. Cantemos ao Senhor.

Deus está aqui! Dos Anjos adorado.

Adoremos a Cristo Redentor. R:

Glória a Cristo Jesus.

Céus e Terra, bendizei ao Senhor. Louvor e glória a Ti, oh Rei da glória. Amor pra sempre a Ti, oh Deus de amor.

Unamos nossa voz a dos cantores, do coro celestial!

Deus está aqui!

Ao Brilho dos Altares.

Exaltemos com gozo angelical! R:

Jesus acende em nós a viva chama, do mais fervente amor.

Deus está aqui! Está porque nos ama, como Pai, amigo e benfeitor! R:

Dirigente: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Dirigente: A graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam e permaneçam sempre conosco. Todos: Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo Eucarístico.

Todos: Senhor Jesus Cristo, neste admirável sacramento nos deixastes o memorial da vossa paixão. Dai-nos venerar com tão grande amor o mistério do vosso Corpo e do vosso Sangue, que possamos colher continua- mente os frutos da vossa redenção. Vós que sois Deus com o Pai, na unidade do Espírito Santo. Amém.

Leitor: PROCLAMAÇÃO DO EVANGELHO SEGUNDO JOÃO 6,51-56

51 “Eu sou o pão vivo que desceu do céu. Quem come deste pão viverá eternamente. E o pão que eu darei é a minha carne, entregue pela vida do mundo”. 52 Os judeus discutiam entre si: “Como é que ele pode dar a sua carne a comer?” 53 Jesus disse: “Em verdade, em verdade, vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós. 54 Quem se alimenta com a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia. 55 Pois minha carne é verdadeira comida e meu sangue é verdadeira bebida. 56 Quem se alimenta com a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim, e eu nele. Palavra da Salvação. Todos: Glória a Vós, Senhor. (Breve pausa e partilha da Palavra)

EUCARISTIA, PRESENÇA REAL DE JESUS CRISTO ( CATIC 1374)

Dirigente: “O modo de presença de Cristo sob as espécies eucarísticas é único. Ele eleva a Eucaristia acima de todos os sacramentos e faz com que ela seja “como que o coroamento da vida espiritual e o fim ao qual  tendem todos os sacramentos”. No santíssimo sacramento da Eucaristia estão “contidos verdadeiramente, realmente e substancialmente o Corpo e o Sangue juntamente com a alma e a divindade de Nosso  Senhor Jesus Cristo e, por conseguinte, o Cristo todo“. “Esta presença chama-se ‘real’ não por exclusão, como se as outras não fossem ‘reais’, mas por antonomásia, porque é substancial e porque por ela Cristo, Deus e homem, se torna presente completo”.

SÚPLICA A JESUS EUCARÍSTICO

Dirigente: Jesus Cristo, Filho do Deus vivo, que nos mandastes celebrar a ceia eucarística em memória de  vós, confiantes vos pedimos: fortalecei a Igreja com a fiel celebração dos vossos mistérios; fazei que os sacerdotes realizem em suas vidas o que celebram no sacramento; conservai na paz e na concórdia aqueles que creem em vós; concedei o dom da saúde aos doentes e o vosso perdão aos pecadores. Vós que sois Deus, com o Pai, na unidade do Espírito Santo. Amém.

(Pode-se pensar em um gesto concreto a ser realizado a favor da Igreja)

Dirigente: Graças e louvores sejam dados a cada momento. Todos: Ao Santíssimo e Diviníssimo Sacramento.

PAI NOSSO… AVE-MARIA… GLÓRIA AO PAI, E AO FILHO E AO ESPÍRITO SANTO

Dirigente: Que Deus Pai nos invada com o seu Amor e nos fortaleça. Amém. Que Jesus Cristo faça o nosso coração arder de zelo e amor pela Eucaristia. Amém. Que o Espírito Santo nos ilumine com a sua Divina Luz. Amém. Abençoe-nos o Deus Todo Poderoso e Misericordioso: Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

(Sugestão de canto: Força e vitória – Eliana Ribeiro https://www.youtube.com/watch?v=l6bDKVaU5NI)

 

SOLENIDADE DE CORPUS CHRISTI – MOMENTO DE ADORAÇÃO

(No link é possível visualizar o SS Sacramento exposto – https://www.youtube.com/watch?v=y4nxyKtrpYw)

Leitor: Assistimos tantas coisas pelos meios  de comunicação e, hoje, acompanhamos pela televisão,  ou celular, a transmissão ao vivo de uma capela com o Santíssimo Sacramento exposto. Isso requer de nós algum esforço, mas sabemos que é um momento importante e que pode ser oferecido por pessoas e situações concretas, pelas quais familiares, amigos e conhecidos estão passando. Que esta Hora Santa nos contagie e inflame o coração.

Dirigente: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Todos: Amém.

Dirigente: A graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam e permaneçam sempre conosco. Todos: Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo Eucarístico.

Dirigente: Graças e louvores sejam dados a cada momento. Todos: Ao Santíssimo e Diviníssimo Sacramento.

Dirigente: Jesus, manso e humilde de coração. Todos: Fazei o nosso coração semelhante ao vosso.

Dirigente: Sagrado Coração de Jesus. Todos: Nós temos confiança em vós. Entoemos o hino Eucarístico https://www.youtube.com/watch?v=QCXjy84undk

 

Deus de amor, nós te adoramos neste Sacramento. Corpo e Sangue que fizeste nosso alimento.

És o Deus escondido, vivo e vencedor.

A teus pés depositamos todo nosso amor. Meus pecados redimiste sob a tua cruz.

Com teu Corpo e com teu Sangue, ó Senhor Jesus!

Sobre os nossos altares, Vítima sem par. Teu divino sacrifício queres renovar!

No Calvário se escondia tua divindade.

Mas aqui também se esconde tua humanidade

Creio em ambas e peço, como o bom ladrão. No teu reino, eternamente, tua salvação!

Creio em ti ressuscitado, mais que São Tomé. Mas aumenta na minh’alma o poder da fé.

Guarda a minha esperança, cresce o meu amor. Creio em Ti ressuscitado, meu Deus e Senhor!

Ó Jesus, que nesta vida pela fé eu vejo. Realiza, eu te suplico, este meu desejo.

Ver-te, enfim, face a face, meu divino amigo. Lá no céu, eternamente, ser feliz contigo!

Todos: Senhor Jesus Cristo, presente no Santíssimo Sacramento do altar, dispomos todo o nosso ser para vos adorar e, por vós, glorificar a Deus Pai na unção do Espírito Santo. Vinde e visitai a nossa casa e familiares com o vosso amor e a vossa misericórdia. Vós que sois Deus com o Pai, na unidade do Espírito Santo. Amém.

Aclamação ao Evangelho (https://www.youtube.com/watch?v=fxKfZMICmWI)

Aleluia, aleluia, aleluia – Quando estamos unidos, estais entre nós. E nos falarás da tua vida. Aleluia, aleluia, aleluia – Este nosso mundo, sentido terá se tua palavra renovar.

Leitor: PROCLAMAÇÃO DO EVANGELHO SEGUNDO JOÃO 15,9-17

9 Como meu Pai me ama, assim também eu vos amo. Permanecei no meu amor. 10 Se observardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, assim como eu observei o que mandou meu Pai e permaneço no seu amor. 11 Eu vos disse isso, para que a minha alegria esteja em vós, e a vossa alegria seja completa.  12  Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei. 13 Ninguém tem amor maior do que aquele que dá a vida por seus amigos. 14 Vós sois meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando. 15 Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu Senhor. Eu vos chamo amigos, porque vos dei a conhecer tudo o que ouvi de meu Pai. 16 Não fostes vós que me escolhestes; fui eu que vos escolhi e vos designei, para dardes fruto e para que o vosso fruto permaneça. Assim, tudo o que pedirdes ao Pai, em meu nome, ele vos dará. 17 O que eu vos mando é que vos ameis uns aos outros. Palavra da Salvação.

Todos: Glória a Vós, Senhor. (Silêncio e meditação da Palavra)

SALMO RESPONSORIAL (Sl 136)

Refrão: Aleluia! Louvai o Senhor, pois ele é bom: pois eterno é seu amor.

2 Louvai o Deus dos deuses: pois eterno é seu amor.

3  Louvai o Senhor dos senhores: pois eterno é seu amor.

4  Só ele fez grandes maravilhas: pois eterno é seu amor.

Refrão: Aleluia! Louvai o Senhor, pois ele é bom: pois eterno é seu amor.

5 Criou os céus com sabedoria: pois eterno é seu amor. 6 Firmou a terra sobre as águas: pois eterno é seu amor. 7 Fez os grandes luminares: pois eterno é seu amor.

 

Refrão: Aleluia! Louvai o Senhor, pois ele é bom: pois eterno é seu amor.

8 O sol para governar o dia: pois eterno é seu amor.

9 A lua e as estrelas para governar a noite: pois eterno é seu amor.

10 Feriu o Egito nos seus primogênitos: pois eterno é seu amor.

Refrão: Aleluia! Louvai o Senhor, pois ele é bom: pois eterno é seu amor.

11 Tirou Israel do meio deles: pois eterno é seu amor.

12 Com mão poderosa e braço estendido: pois eterno é seu amor.

13 Dividiu o mar Vermelho em duas partes: pois eterno é seu amor.

Refrão: Aleluia! Louvai o Senhor, pois ele é bom: pois eterno é seu amor.

14 Fez Israel passar no seu meio: pois eterno é seu amor.

15 Lançou ao mar Vermelho o faraó e seu exército: pois eterno é seu amor.

16 Guiou o seu povo no deserto: pois eterno é seu amor.

Refrão: Aleluia! Louvai o Senhor, pois ele é bom: pois eterno é seu amor.

17 Feriu grandes soberanos: pois eterno é seu amor.

18 Matou reis poderosos: pois eterno é seu amor. 19 Seon, rei dos amorreus: pois eterno é seu amor. 20 Og, rei de Basã: pois eterno é seu amor.

Refrão: Aleluia! Louvai o Senhor, pois ele é bom: pois eterno é seu amor.

21 Deu como herança o país deles: pois eterno é seu amor.

22 Como herança a seu servo, Israel: pois eterno é seu amor.

23 Na nossa humilhação lembrou-se de nós: pois eterno é seu amor.

Refrão: Aleluia! Louvai o Senhor, pois ele é bom: pois eterno é seu amor.

24 Libertou-nos dos nossos inimigos: pois eterno é seu amor.

25 Dá o alimento a todo ser vivo: pois eterno é seu amor.

26 Louvai o Deus do céu: pois eterno é seu amor.

Refrão: Aleluia! Louvai o Senhor, pois ele é bom: pois eterno é seu amor.

LADAINHA EUCARÍSTICA

Leitor A: Senhor, tende piedade de nós. T: Senhor, tende piedade de nós.

Leitor B: Jesus Cristo, tende piedade de nós. T: Jesus Cristo, tende piedade de nós.

Leitor A: Senhor, tende piedade de nós. T: Senhor, tende piedade de nós.

Leitor B: Jesus Cristo, ouvi-nos. T: Jesus Cristo, ouvi-nos.

Leitor A: Jesus Cristo, atendei-nos. T: Jesus Cristo, atendei-nos.

Leitor B: Deus Pai do Céu. T: tende piedade de nós.

Leitor A: Deus Filho, Redentor do mundo. T: tende piedade de nós.

Leitor B: Deus Espírito Santo. T: tende piedade de nós.

Leitor A: Santíssima Trindade que sois um só Deus. T: tende piedade de nós.

Leitor B: Jesus, Deus e homem presente no Santíssimo Sacramento do Altar. T: tende piedade de nós.

Leitor A: Pão Vivo, que descestes do Céu. T: tende piedade de nós.

Leitor B: Deus, escondido e Salvador. T: tende piedade de nós.

Leitor A: Sacrifício perene do Novo Testamento. T: tende piedade de nós.

Leitor B: Sacrifício de todos mais digno. T: tende piedade de nós.

Leitor A: Verdadeiro Propiciatório pelos vivos e pelos mortos. T: tende piedade de nós.

Leitor B: Cordeiro Imaculado de Deus. T: tende piedade de nós.

Leitor A: Esplendor das maravilhas de Deus. T: tende piedade de nós.

Leitor B: Manifestação da sagrada paixão de Nosso Senhor e Salvador. T: tende piedade de nós.

 

Leitor A: Hóstia Santa. T: tende piedade de nós. Leitor B: Cálice de Bênção. T: tende piedade de nós. Leitor A: Mistério da Fé. T: tende piedade de nós.

Leitor B: Pão dos Anjos. T: tende piedade de nós.

Leitor A: Vínculo de paz e caridade. T: tende piedade de nós.

Leitor B: Celeste antídoto, que nos preserva dos pecados. T: tende piedade de nós.

Leitor A: Fonte de todas as graças. T: tende piedade de nós.

Leitor B: Consolo dos aflitos. T: tende piedade de nós.

Leitor A: Remédio dos enfermos. T: tende piedade de nós.

Leitor B: Viático dos que morrem na amizade com Deus. T: tende piedade de nós.

Leitor A: Penhor seguro da glória futura. T: tende piedade de nós.

Leitor B: Sede-nos propício. T: perdoai-nos, Senhor.

Leitor A: Sede-nos propício. T: atendei-nos, Senhor.

Leitor B: Da recepção indigna do vosso Corpo e Sangue. T: livrai-nos, Senhor.

Leitor A: Da comunhão tíbia. T: livrai-nos, Senhor.

Leitor B: Da concupiscência da carne. T: livrai-nos, Senhor.

Leitor A: Da concupiscência dos olhos. T: livrai-nos, Senhor.

Leitor B: Da concupiscência dos lábios. T: livrai-nos, Senhor;

Leitor A: Da soberba da vida. T: livrai-nos, Senhor. Leitor B: De toda ocasião de pecar. T: livrai-nos, Senhor. Leitor A: Da morte eterna. T: livrai-nos, Senhor.

Leitor B: Por Vossa Santa Encarnação. T: livrai-nos, Senhor.

Leitor A: Por Vossa Sagrada Paixão e Morte. T: livrai-nos, Senhor.

Leitor B: Pelo ardente desejo com que quisestes comer a Páscoa com vossos Apóstolos. T: livrai-nos, Senhor.

Leitor A: Pela humildade, com que lavastes os pés dos Vossos Apóstolos. T: livrai-nos, Senhor. Leitor B: Pelo ardentíssimo amor com que instituístes este Divino Sacramento. T: livrai-nos, Senhor. Leitor A: Pelo Sangue Precioso, que no sacramento do Altar nos deixastes. T: livrai-nos, Senhor.

Leitor B: Pelas vossas santas Chagas, que no Vosso Corpo recebestes por nosso amor. T: livrai-nos, Senhor.

Leitor A: Ainda que pecadores. T: ouvi-nos, Senhor.

Leitor B: Dignai-vos de aumentar e conservar em nós a Fé, reverência e devoção a este admirável Sacramento. T: ouvi-nos, Senhor.

Leitor A: Dignai-vos de nos dispor para um santo e frequente uso da Sagrada Escritura pela sincera confissão dos nossos pecados. T: ouvi-nos, Senhor.

Leitor B: Dignai-vos de nos fazer colher os celestiais e preciosos frutos deste Santíssimo Sacramento. T:

ouvi-nos, Senhor.

Leitor A: Dignai-vos de nos salvar de toda heresia, perfídia e cegueira espiritual. T: ouvi-nos, SenhorLeitor B: Dignai-vos nos confortar e fortalecer na hora da morte com o celestial viático. T: ouvi-nos, Senhor. Leitor A: Filho Eterno, verdadeiro Deus. T: ouvi-nos, Senhor.

Leitor B: Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo. T: perdoai-nos, Senhor.

Leitor A: Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo. T: ouvi-nos, Senhor.

Leitor B: Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo. T: tende compaixão de nós, Senhor.

 

AÇÃO DE GRAÇAS PELO DOM DA EUCARISTIA

Dirigente: Graças e louvores sejam dados a cada momento. Todos: Ao Santíssimo e Diviníssimo Sacramento.

Dirigente: Jesus, manso e humilde de coração. Todos: Fazei o nosso coração semelhante ao vosso.

Dirigente: Sagrado Coração de Jesus. Todos: Nós temos confiança em vós.

CANTO DE ADORAÇÃO EUCARÍSTICA (https://www.youtube.com/watch?v=yg9qt7IvWLY)

 

Tão sublime sacramento Adoremos neste altar Pois o Antigo Testamento Deu ao Novo seu lugar

Venha a fé, por suplemento Os sentidos completar

Ao eterno Pai cantemos E a Jesus, o Salvador Ao Espírito exaltemos

Na Trindade eterno amor Ao Deus uno e trino demos

A alegria do louvor – Amém! Amém!

Dirigente: Do céu lhes destes o pão. Todos: Que contém todo o sabor.

Todos: Senhor Jesus Cristo, neste admirável sacramento nos deixastes o memorial da vossa paixão. Dai-nos venerar com tão grande amor o mistério do vosso Corpo e do vosso Sangue, que possamos colher continua- mente os frutos da vossa redenção. Vós que sois Deus com o Pai, na unidade do Espírito Santo. Amém.

ATO DE LOUVOR

Leitor: Bendito seja Deus.

Todos: Bendito seja o seu santo nome.

Leitor: Bendito seja Jesus Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro Homem.

Todos: Bendito seja o nome de Jesus.

Leitor: Bendito seja o seu Sacratíssimo Coração.

Todos: Bendito seja o seu preciosismo Sangue.

Leitor: Bendito seja Jesus no Santíssimo Sacramento do altar.

Todos: Bendito seja o Espírito Santo Paráclito.

Leitor: Bendita seja a grande Mãe de Deus, Maria Santíssima.

Todos: Bendita seja sua santa e Imaculada Conceição.

Leitor: Bendita seja sua gloriosa Assunção.

Todos: Bendito seja o nome de Maria, virgem e mãe. Leitor: Bendito seja são José, seu castíssimo esposo. Todos: Bendito seja Deus, nos seus anjos e nos seus santos.

Todos: Deus e Senhor nosso, protegei a vossa Igreja, dai-lhe santos pastores e dignos ministros. Derramai as vossas bênçãos sobre o nosso Santo Padre, o papa, sobre o nosso (arce) bispo, sobre o nosso pároco e todo o clero, sobre o chefe da nação e do Estado e sobre todas as pessoas constituídas em dignidade para que governem com justiça. Dai, ao povo brasileiro, paz constante e prosperidade completa. Favorecei com os efeitos contínuos de vossa bondade o Brasil, este (arce) bispado, a paróquia em que habitamos, a cada um de nós em particular e a todas as pessoas por quem somos obrigados a orar ou que se recomendaram às nossas orações. Tende misericórdia das almas dos fiéis que padecem no purgatório. Dai-lhes, Senhor, o descanso e a luz eterna. Amém.

PAI NOSSO… AVE-MARIA… GLÓRIA AO PAI, E AO FILHO E AO ESPÍRITO SANTO

Dirigente: Que Deus Pai nos invada com o seu amor e nos fortaleça continuamente com a sua graça. Amém. Que Jesus Cristo abrase o nosso coração com amor e zelo pela Eucaristia. Amém. Que o Espírito Santo nos ilumine com a sua divina luz e nos faça caminhar sempre orientados pelas Sagradas Escrituras. Amém. Que Deus Todo Poderoso e Misericordioso nos abençoe: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

(Sugestão de canto final: Como és lindo – https://www.youtube.com/watch?v=vi3im4 C7Y)

CELEBRAÇÃO DOMINICAL DA PALAVRA:SANTÍSSIMA TRINDADE

Por prevenção, não vamos à comunidade para Celebrar o Dia do Senhor, mas podemos celebrar na pequena Igreja da nossa casa, e nos alegrar com a presença de Jesus em nossa mesa.

Abaixo, o roteiro para este DOMINGO DA SANTÍSSIMA TRINDADE  .

Clique e baixe o roteiro:

DOMINGO DA SANTÍSSIMA TRINDADE – 2020 

Leitura Orante – SANTÍSSIMA TRINDADE, 07 de Junho de 2020

TRINDADE SANTA: Deus é o que ama o amado e o amor
“Deus amou tanto o mundo, a ponto de dar o seu Filho único…” (Jo 3,16)
Texto Bíblico: João 3,16-18
 
1 – O que diz o texto?
Ao longo do percurso litúrgico, a Igreja quis, em sua sabedoria, reservar um dia especial para que dedicássemos a glorificar a Trindade Santa. E que, nesse dia nos voltássemos a ela, não a partir de nossas misérias, necessidades e petições, mas que dirigíssemos para esse Mistério o olhar de nossa admiração, gratuita e livremente, a fim de contemplar os segredos de sua beleza, bondade, amor… assim como o fazemos, por exemplo, ao contemplar a vastidão dos céus ou o jogo de cores e luzes de um pôr do sol.
A revelação da Trindade nunca poderá ser apreendida ou controlada por nós, pelo nosso rigor verbal nas formulações dogmáticas sobre Deus e seu ser. A Trindade não é uma simples doutrina a ser acolhida, ou uma verdade a ser pensada, mas uma Presença a ser vivida, com espanto e admiração. É encantador contemplá-la, dobrando-nos em reverência, deixando-nos impactar por tão grande e tão profundo mistério, tão belo e inefável dom que a teologia tentou expressar em palavras, mas sentiu-se impotente.
Trata-se de uma experiência contemplativa silenciosa, que ativa em nós uma sensibilidade intensa, capaz de nos despertar para entrar em sintonia com fluxo trinitário que atravessa toda a realidade, nos envolve e faz de nosso coração sua morada.
Se conseguirmos viver isso, com delicadeza, humildade e esvaziamento de nós mesmos, poderemos, então, perceber, que a Trindade de Deus não é uma experiência reservada apenas a uns poucos e privilegiados místicos, nem tampouco um complexo dogma teológico que só os especialistas, através de suas especulações racionais, conseguem se aproximar.
Afirma-se que o dogma da Trindade é o mais importante de nossa fé católica, pois estamos diante do maior Mistério que os olhos não viram os ouvidos não escutaram, nem a mente conseguiu compreender… Nada do que podemos definir pensar ou dizer sobre a Trindade é adequado a seu Ser mais íntimo.
2 – O que o texto diz para mim?
O mais urgente neste momento para o cristianismo, não é explicar melhor o dogma da Trindade, e menos ainda, uma nova doutrina sobre Deus Trino. Seria, em definitiva, a busca de um encontro vivo com Deus, a perfeita comunidade. Não se trata de demonstrar a existência da luz, mas de abrir os olhos para ver.
Tudo o que “sei” da Trindade pode ser um estorvo para viver sua presença vivificadora em mim. Calar sobre Deus, é sempre mais exato que falar. Dizem os orientais: “Se tua palavra não é melhor que o silêncio, cala-te”. O decisivo é viver o Mistério da Trindade a partir da adoração e da partilha fraterna.
Grandes teólogos fizeram profundos estudos sobre a Trindade, tratando de pensar conceitualmente o mistério de Deus. No entanto, eles mesmos dizem que, para “saber” de Deus, o importante não é “refletir” muito, mas “saber” algo do Amor.
O dogma da Trindade, portanto, me liberta do “Deus poder” e me lança nos braços do Deus Amor. 
3 – O que a Palavra me leva a experimentar?
O mistério de Deus Uno e Trino é fruto da experiência de revelação progressiva na história da Salvação, culminando na revelação que Jesus me fez. “Deus é UM, mas não está jamais só”. Deus não é um ser isolado, distante da Criação, solitário. É um Deus comunitário, família, sociedade, fraternidade… Por isso, o auge de toda a revelação bíblica é esta: “Deus é Amor”, ou seja, Deus não é uma realidade fria e impessoal, um ser triste, solitário e narcisista. Não posso imaginá-lo como poder impenetrável, fechado em si mesmo. Em seu ser mais íntimo, Deus é amor, vida compartilhada, amizade prazerosa, diálogo, entrega mútua, abraço, comunhão de pessoas. O amor trinitário de Deus é amor que se expande e se faz presente em todas as criaturas. E o Amor nunca é solidão, isolamento, mas comunhão, proximidade, diálogo, aliança…
O Deus revelado por Jesus é Amor e me aproximar do Deus Amor é descobrir a Trindade.
Em Deus o Amor não é uma qualidade como em mim, mas sua essência. Se Deus deixasse de amar um só instante, deixaria de ser Deus. O movimento que parte do Pai, passa pelo Filho e se consuma no Espírito é um movimento de Amor sem fim. Amor expansivo que envolve o mundo todo, segundo o relato do evangelho deste domingo.
Nesse sentido, “saborear o mistério da Trindade” me sensibiliza e me capacita para me aproximar do meu mundo, com uma visão mais contemplativa. O “subir” até Deus passa pelo “descer” até às profundezas da humanidade.
Como “contemplativa na ação”, movida por um olhar novo, entro em comunhão com a realidade tal como ela é.  É olhar o mundo como “sacramento de Deus”; um olhar capaz de descobrir os sinais de esperança que estão surgindo; um olhar afetivo, marcado pela ternura, pela compaixão e gerador de misericórdia; um olhar gratuito e desinteressado, “janela da alma”, que me expande numa atitude acolhedora de tudo que me rodeia; um olhar que rompe distancia e alimenta encontros instigantes.
Preciso retornar às palavras de Jesus, que ora ao Pai por seus discípulos:
“Não te peço que os tires do mundo, mas que os defendas do maligno” (Jo 17,15).
Ser cristão é ser presença diferenciada e inspiradora no mundo. O mundo da globalização é a realidade que agora me cabe transformar. O Evangelho não me ensina doutrinas, mas um modo original de estar no mundo, à maneira de Jesus. Minha vida deve ser um espelho que, em todo momento, deixa transparecer o mistério da Trindade.
4 – O que a Palavra me leva a falar com Deus?
Senhor sou um ser desafiada a “viver uma vida no mundo e no coração da humanidade” (P. Kolvenbach).
Se o ser humano é o caminho para Deus, o ponto de encontro do ser humano com Deus está no mundo. Este princípio cristão significa que o encontro do ser humano com Deus se dá no campo da cultura, das relações, do diálogo inter-religioso… enfim, uma espiritualidade enraizada na realidade do mundo. Um mundo configurado pela ciência e pela tecnologia: este é o cenário em que o cristão está chamado a encontrar-se com Deus, recriando um novo tipo de humanismo de acordo com o meu tempo.
Num mundo em que a competência se degenera em competitividade sem limites, em que o individualismo e a falta de solidariedade criam novas fronteiras e exclusões, em que a cultura da indiferença, do preconceito e da suspeita é fonte das mais variadas formas de violência…, é preciso recuperar o discurso e a prática do “ser para os outros”, o saber e a autoridade como serviço, solidariedade, compaixão,  partilha, perdão, gratuidade, compromisso, dom de si mesmo, amor…
O surpreendente é que eu fui criada à imagem do Deus Trindade; carrego em meu interior a “faísca amorosa” da Trindade Santa. É fácil perceber isso: sempre que sinto necessidade de amar e ser amada, sempre que sei acolher e buscar ser acolhida, quando desfruto compartilhando uma amizade que me faz crescer, quando sei doar e receber vida, estou saboreando o “amor trinitário” de Deus. Esse amor que brota em mim provém d’Ele.
Nesse sentido, o melhor caminho para me aproximar do mistério do Deus Trindade não são os tratados teológicos que falam dele, mas as experiências amorosas que compartilho na vida. Só encontro o Deus Trino com o coração.  “Só corações solidários adoram um Deus Trinitário”.
5 – O que a Palavra me leva a viver?
Quando me abro à comunhão com a Trindade, Ela entra em comunhão comigo na forma sutil de um perfume. Não força, não invade, mas cria um ambiente agradável, perfumado, que me eleva e me suscita alegria interior. Tal como o perfume, a Trindade derrama sua Graça sobre toda a Criação e a humanidade inteira. Quê há de mais suave, reconfortante e realizador do que sentir a Trindade a partir do coração?
– A oração é o momento privilegiado para abrir-se ao dinamismo do amor trinitário; deixar-me empapar por esta presença perfumada.
Fonte: 
Bíblia Novo Testamento – Paulinas: João 3,16-18
Pe. Adroaldo Palaoro, sj
Sugestão: 
Música: Santíssima Trindade – fx 09
Autor: Pe. Zezinho, scj
Intérprete: Pe. Zezinho, scj
CD: Nas asas da contemplação
Gravadora: Paulinas Comep
Duração: 02:31

Leituras relacionadas

Remodal