Notícias

Carta enviada aos senadores por uma mãe de alunas bolsistas

27/09/2019
Por  Verlindo

Senhor Senador,

Meu nome é Nilda Isabel, sou professora, tenho 49 anos, moro em Senador Firmino – Minas Gerais. Minhas duas únicas filhas estudam graças ao sistema de filantropia no Colégio Sagrado Coração de Maria, localizado em Ubá, um município próximo ao que habito.

Venho por meio deste e-mail solicitar que reavalie e reveja os princípios da PEC PARARELA aprovada no último dia 4, uma vez que essa irá afetar não só a minha família, mas também tantas outras que dependem desse sistema para ter acesso à educação e à saúde de qualidade.

Em primeira instância, quero ressaltar que o estudo é para nós uma esperança de que nossos filhos não vivam a nossa realidade e, caso esse amparo seja cortado, mais de 725 mil bolsistas serão impedidos de continuarem lutando por um futuro melhor, segundo dados da FONIF. Repetindo, 725 mil pessoas, famílias e estudantes serão afetados; e isso é muita gente; é a gente do país que o senhor ajuda a administrar e que depende do senhor. Qual será a realidade dessa parte da população a partir daí? Se o senhor não tem ideia, pois esse não é um cenário que lhe representa, eu tenho, pois vivo nele e  afirmo que muitos irão para escolas públicas, as quais por sinal estão em péssima qualidade; outros não irão conseguir o emprego desejado ou a profissão sonhada, levando-os a realizar trabalhos de longa duração e pesados, os quais, muitas vezes, não possuem nem auxílios trabalhistas. Essas pessoas, assim como minhas filhas, serão as mais prejudicadas por essa reforma da previdência.

Além de afetar na educação, a saúde também sofrerá impactos, já que 59% de todas as internações de alta complexidade são feitas pelo SUS, de acordo com dados do mesmo site, mais da metade da população brasileira é dependente desse sistema. Para onde essas pessoas irão ”correr” nos momentos em que precisarem de uma assistência para tratarem de sua saúde? O senhor irá ajudar tais famílias? É certo que o Sistema Único de Saúde não funciona plenamente e homogeneamente, entretanto, é ele que ajuda a salvar a vida de muitos brasileiros. Eu sei que há países Neoliberais como os EUA em que sistemas assim já não existem mais, porém as realidades são diferentes e as condições sociais da população também.

Portanto, é perceptível que 80% dos brasileiros serão afetados caso essa reforma seja aprovada, como também afirma o site da FONIF, tanto em relação à escolaridade quanto à saúde. Dessa forma, peço encarecidamente que essa proposta seja reavaliada, pois as consequências serão amplas e graves.O povo que está pedindo isso ao senhor. É o povo do seu país. É ser humano e, infelizmente, não possui uma realidade tão confortável como a sua. Logo, por mais que essa reforma  busque melhorar a economia do país, não sacrifique pessoas e vidas para isso, busque outros modos de fazê-la.

Atenciosamente

Nilda – mãe – professora do povo – cidadã brasileira.


Leituras relacionadas

Remodal