Notícias

2º Dia: Jornada da Educação 2021: formação de docentes é tema no segundo dia de evento

11/08/2021
Por  Jackeline Nascimento

A formação de docentes nos anos iniciais do Ensino Fundamental foi o assunto escolhido para o segundo dia de palestras da Jornada da Educação ANEC 2021. Com o foco nas narrativas do Ensino Fundamental nos anos iniciais, professores, educadores e membros de equipes escolares das associadas da ANEC marcaram presença no encontro. O momento de reflexão espiritual foi realizado pelo Professor Hudson Rodrigues, do Colégio Sagrado Coração de Maria de Brasília, e trouxe o pensamento do Papa Francisco a respeito da educação: “para educar é preciso buscar a integração da linguagem da cabeça com a linguagem do coração e a linguagem das mãos”.

A Diretora 1ª Vice-presidente da Associação Nacional de Educação Católica do Brasil, Irmã Adair Sberga, foi a responsável por receber as convidadas da noite. As conselheiras do Conselho Nacional de Educação, Amábile Pacios e Suely Menezes abordaram a capacitação de professores e a Base Nacional Comum Curricular. A base legal que dirige hoje o preparo inicial de educadores brasileiros é a resolução 02/2019 do Conselho Nacional de Educação. Ela aborda as diretrizes e trabalha o mestre para que ele consiga desenvolver as competências educativas. Aos profissionais que já estavam em sala de aula, o CNE lançou, em 2020, a resolução 01/2020 para a formação continuada.

Os quatro pilares da educação no Século XXI trazem como meta que a escola transmita o gosto e o prazer de aprender e utilizar os conhecimentos. São eles: aprender a conhecer; aprender a fazer; aprender a conviver e aprender a ser. Estes quatro fundamentos foram os responsáveis pela construção da BNCC no Brasil. Em 1988, a BNCC entrou na legislação brasileira. Suely Menezes apresentou formas de aprender, compreender e utilizar a BNCC. “É um documento muito bem estruturado. Não é um currículo. Com ele as escolas, os sistemas, as redes e o país devem construir seus currículos”, explicou Suely.

O documento apresenta um conjunto orgânico e progressivo de aprendizagens essenciais para todos os alunos brasileiros. A BNCC define competências que devem ser desenvolvidas durante os Ensinos Infantil, Fundamental e Médio. Os mesmos princípios das competências gerais da BNCC serão desenvolvidos nas competências gerais dos docentes. Os fundamentos da instrução do profissional de educação devem ser compostos por uma sólida formação básica, associação entre teorias e práticas e aproveitamento de experiências, de acordo com a especialista. Para a professora, o docente precisa estar sendo capacitado permanentemente e ter um conhecimento atualizado para poder atingir as metas que o aluno atinja ao final de cada etapa educacional.

Para Amábile Pacios o conhecimento se renova muito rapidamente. Afirma que após este período pandêmico, a formação do pedagogo deverá rever os seus conteúdos. “Sabemos que a instrução de um profissional de ensino não se esgota em um único curso de graduação. É uma profissão que exige dedicação e atualização nos processos de educar e de ensinar”, afirmou a professora. A pandemia trouxe cenários inimagináveis para qualquer preparo pedagógico, até então, com professores utilizando plataformas online para alfabetizarem os alunos, e o preparo do educador deve convergir com as necessidades que ele possui atualmente.

Em uma roda de conversa mediada pela gerente da Câmara de Educação Básica, Roberta Guedes, as duas palestrantes trouxeram formas práticas de como aplicar a BNCC e como pensar a formação pedagógica após os ensinamentos da pandemia para encerrar a apresentação sobre a preparação dos profissionais da pedagogia.

A Jornada da Educação 2021 será realizada até o dia 12 de agosto. A programação pode ser encontrada no link: https://bit.ly/JornadaEducacao2021


Leituras relacionadas

Remodal