Notícias

Dia ANEC São Paulo (SP) no Colégio Santa Cruz

28/02/2019
Por  Verlindo

 

Todos os anos, durante a Quaresma, a Igreja realiza a reflexão e a prática da Campanha da Fraternidade, que representa um dos elementos principais para uma educação pautada no carisma católico de uma Escola em Pastoral. Nesse sentido, no último sábado, dia 23, o Colégio Santa Cruz sediou o Dia ANEC São Paulo, reforçando o tema “Fraternidade e Políticas Públicas” a todos os docentes.

A campanha deste ano foca no desenvolvimento social no que diz respeito à formação do senso político e crítico em nossa sociedade, em um âmbito global. Observar o que pode ser solucionado em nosso país é tão importante quanto agir sobre estas questões, e é desta forma que as Políticas Públicas devem ser abordadas em todas as disciplinas que envolvem a Educação Básica Católica.

O Dia ANEC teve início às 7h30, no Auditório do Colégio, com a acolhida e oração; foi um momento muito significativo, animado pelas músicas da equipe de Pastoral do Colégio Santa Cruz. O orador, Glauco Felix Teixeira Landin, da Rede Jesuíta de Educação, esteve presente conduzindo todos os momentos do evento.

As discussões sobre a temática, que aprofundou o tema da Campanha da Fraternidade, levou os participantes a refletirem sobre o papel do educador na partilha dos preceitos principais da Igreja aos educandos, e fazendo valer o que há de mais intrínseco na educação católica: o ser humano.

Em seguida, houve a palestra da Edify, conduzida pelo consultor João Victor Miranda, a propósito dos desafios da educação no século XXI, tendo como objetivo principal a descrição de seu programa bilíngue, como sendo uma das habilidades fundamentais para o mercado de trabalho atual; para encerrar sua fala houve o sorteio de brindes da editora.

A FTD também marcou presença nas palestras, representada pela consultora Fabiana de Almeida, dialogando sobre a Educação Básica e seus principais questionamentos. O momento foi encerrado com a distribuição de brindes aos participantes, que encontraram um voucher dentro das sacolas distribuídas pela editora.

Para finalizar a primeira parte do Dia ANEC, a Ir. Selma presenteou a todos com seu enorme carisma, elevando o entusiasmo a respeito do papel fundamental do professor nos dias atuais: “não é necessário olhar para a Finlândia para entendermos o que precisa ser feito para uma educação de qualidade. Essa qualidade está em cada um de nós, em todos os momentos, na minha sala de aula do Colégio Franciscano São Miguel Arcanjo, no Colégio Santa Cruz, nos Colégios Salesianos… Em todos nós! A minha Finlândia é a minha Escola e os meus professores!”, mencionou. O envolvimento e a empolgação dos participantes foi tamanho que seguiu-se de uma longa salva de palmas, como forma de parabenizar pelo belíssimo trabalho aclamado por ela quanto ao cotidiano escolar e a importante função de educar.

O intervalo foi marcado por muito network e um coffee break repleto de opções. Na segunda parte do evento os participantes foram direcionados para suas respectivas oficinas, divididas por área desde a Educação Infantil até o Ensino Médio, e o setor social.

 

Alguns depoimentos das impressões do evento:

“Na minha opinião, o tema da Campanha da Fraternidade deste ano nos favorece para que tenhamos a compreensão e o desafio das Politicas Publicas e por isso nós do ambiente escolar precisamos refletir mais sobre essas políticas, apresentando para a sociedade e para a comunidade educadora e educativa como agir em prol de melhorias para a saúde, educação, lazer, cultura, etc. Nada mais justo do que nós, das instituições católicas, despertarmos em nossos educadores e em nossos educandos a importância de que juntos temos o direito aos poderes públicos, para poder executar, projetar, avaliar e cobrar mais essas ações dos políticos, das políticas.

Justamente por isso que o Dia ANEC nos favorece, ajudando nós educadores a compreender e a aprimorar a temática das Políticas Públicas. Além disso, hoje nós tiver a oportunidade de aprender e descobrir novas metodologias criativas para que possamos aprofundar mais a temática durante as aulas com nossos alunos, e assim, conseguir despertar o interesse deles na gestão das políticas de um país, uma cidadania, uma comunidade melhor.” (Simone Armelim – Colégio Franciscano São Miguel Arcanjo)

 

“Para mim as políticas publicas do Brasil são falhas e eu acredito que através da educação nós conseguimos concretizar as pessoas. Os nossos alunos são jovens que precisam ser educados, ou seja, se eles tiverem isso bem presente em suas cabeças, em suas vidas e presentes na educação, provavelmente quando estiverem futuramente em seus cargos e em suas profissões, eles terão uma consciência maior para transformar a sociedade fazendo com que ela seja mais justa, mais igualitária para todo mundo. E o Dia ANEC é de vital importância para isso! Eu participo deste evento há muitos anos e acredito que ele auxilie os educandos neste primeiro contato que a gente tem, além do livro do texto base de uma forma um pouco mais viva, sempre com educadores que sabem transmitir a temática muito bem, com palestrantes muito interessantes (muito didáticos) e dicas que nos auxiliam no trabalho com os nossos. Além disso, o evento é um ponta pé inicial muito importante para iniciarmos uma troca de experiência com pessoas de outros colégios.” (Renata C. de Ozark – Coordenadora de Pastoral do Colégio Santa Cruz, da Congregação Santa Cruz)

 

“A  Edify é importante para a educação porque mostra a importância do inglês, do ensino em inglês e apresenta novas habilidades para a criança. Neste mundo cada vez mais globalizado, a Edify apresenta uma proposta que atende justamente essa deficiência que o mercado e que as escolas não conseguem atender. Hoje, muitos países da Europa já possuem o ensino do inglês dentro das escolas e o que a gente trás para o Brasil é justamente essa capacitação das escolas, é uma estruturação da língua inglesa para que a escola possa entregar para os alunos a fluência no idioma. Além da fluência no inglês, a Edify  auxilia no pensamento crítico e no trabalho em equipe. Tudo que nós trabalhamos baseado em projetos está alinhado com a importância do que é a ANEC e do que as escolas católica trazem também como ideal para os alunos, de educar e formar cidadãos.

O evento tem uma influência muito positivamente. Para mim é um momento riquíssimo para que os educadores encontrem um norte e saibam quais as tendências que elas precisam acreditar, além disso é uma oportunidade incrível para que as instituições de ensino conheçam o que o mercado tem para oferecer, como um programa bilíngue, por exemplo. É uma janela para que possam ver novas possibilidades que ajudam na construção do futuro do aluno.” (João Victor Miranda- Edify)

 

“O tema da Campanha da Fraternidade deste ano é bastante ousado e atual e para que os professores trabalhem este tema é necessário que tenham um repertório.

Nós temos que ver o cenário, julgar discernir e agir e a parte da ação fica por conta dos professores nessa campanha que é tão específica e desafiadora como o nosso colega falou na parte da manhã.

Eu acredito que o Dia ANEC é importante para a formação continuada. Nós enquanto educadores temos que ter flashs e insight a todo momento para que a nossa formação seja a mais atual possível, porque os nossos alunos, os nossos educandos precisam que estejamos atualizados.” (Fabiana de Almeida – Consultora Educacional Confessional da Editora FTD)

 

“O tema da Campanha da Fraternidade é totalmente relevante. A nossa vida é composta de políticas (a nossa vida social), então para nós termos vida plena precisamos de boas políticas. Nós estamos em um pais muito desigual, com perspectivas que provavelmente acentuaram essas divisões, essas desigualdades e a educação católica tem o dever de realizar o ideal da fraternidade. Acreditamos que só temos um Deus e que todos somos irmãos, portanto se todos somos irmãos devemos ter a mesma dignidade na condição de vida, todos devemos ter segurança, alimentação, escolas, enfim, nós não podemos viver em uma desigualdade tão grande. Por isso a relevância do tema “Políticas Públicas” realmente é total, nós temos esse desafio e precisamos realiza-lo, conquistar as soluções necessárias dentro do nosso espaço de ação. E o Dia ANEC influencia de maneira muito positiva para isso, porque esse evento tem duas funções: a primeira é de integrar a nossa rede, a rede das escolas católicas; e o segundo ponto é a formação.

Normalmente esse Dia ANEC oferece a todos nós educadores uma formação a partir do tema da Campanha da Fraternidade que neste ano é “Políticas Públicas”, não é um tema fácil e portanto o nosso palestrante realmente consegue fazer uma espécie de transposição didática onde ele simplifica para nós, esclarece para nós, nos mostra a base da temática e nos motiva para que possamos desenvolver isso nas escolas. (Ir. Selma Maria dos Santos – Irmãs de São Francisco da providencia de Deus / Diretora Geral do Colégio Franciscano São Miguel Arcanjo / Conselho estadual da ANEC de São Paulo)

 

“O tema “Fraternidade e Políticas Pública” nos faz pensar em como agir nessa situação e não reagir. O tema abrange varias políticas publicas que precisam ser levadas para dentro das escolas de uma maneira extremamente correta, abrangente e realista. Eu acho que esse é o grande chamado, trabalhar essa realidade não sem os cuidados mas da maneira como ela acontece.

O evento de hoje tomou uma proporção que nem nós imaginávamos e foi uma equipe que trabalhou muito porque a nossa preocupação foi trazer as instituições através dos seus educadores que são “os pés” de suas escolas. Contudo, quando nós falamos de políticas publicas, todos nós de maneira geral, precisamos trazer essa realidade de como ela deve ser trabalhada dentro da sala de aula. Então as próprias oficinas serão trabalhadas com educadores que sabem a necessidade que o educador tem para poder transmitir, para poder desenvolver e trabalhar em sala de aula. Então o Dia ANEC trás exatamente o trabalho diário do professor nas instituições, por isso para mim é maravilhoso ver o auditório cheio, saber que tudo isso está entrando nas escolas, que possuem um compromisso além da formação acadêmica que é com a formação humana e também a reflexão daqueles que mais precisam (muitas vezes as nossas escolas trabalham com realidades que muitas vezes desconhecem o que acontece de fato no nosso mundo, no nosso país).” (Simone Perez Oliva – Orientadora Educacional do Colégio São Miguel Arcanjo)

 

“Trabalhar a CF e o tema ligado às Políticas Públicas e Fraternidade, tem muitos ver com a educação católica em si e toda a sua formação na questão humanista, dos valores, dos princípios, passar ao jovem ser um cidadão na figura do professor, passar para o jovem a figura de ser um cidadão de senso crítico de saber os seus direitos e deveres, de não só pensar em si, de cuidar do outro. A importância da vida no seu todo, eu acho que é muito importante o educador despertar isso no jovem, de que ele é um agente transformador, porque ele pode fazer a diferença na sociedade passando esses valores que ele aprendeu e que não esquece jamais. Isso que nos dá sentido à vida, no respeito. É conhecer o seu bairro, a sua comunidades e compreender o que acontece ao seu redor, ao lado do seu bairro com seus vizinhos e esse jovem pode ser o agente transformador e multiplicador para um bem comum. Então, para tudo que dê sentido a vida, aos valores, acredito que esse tema ajuda o jovem a ter esse senso crítico construtivo para que ele seja um agente que ajude o Poder Público a agir em benefício do seu bem-estar e da sua comunidade do país, fazendo a diferença.

O professor tendo essa formação e a informação ele consegue inspirar os jovens a construir esses valores e a conhecer seus direitos e deveres. O jovem será capaz de despertar sempre essa capacidade de aprender, de se respeitar, de dar essa formação humana, porque é cuidando do próximo que a gente constrói um mundo melhor.” (Gisela machado – Comunicação e Marketing do Colégio Franciscano São Miguel Arcanjo)

 

“O tema possui relevância total, porque nós, educadores, estamos tratando da questão do cidadão e do bem comum. Nós temos uma responsabilidade muito grande com isso, as Políticas Públicas estão principalmente focadas na questão do bem comum e a educação é o tempo inteiro com isso. Quando a gente diz que os nossos alunos  tem que ser cidadãos do seu tempo, cidadãos de hoje e do futuro, e por essa razão esse tema tem tudo a ver com o processo educativo de uma pessoa.

Os nossos professores sempre precisam estar em momentos de vivência de experiências para que eles possam estar retomando a sua prática. Por isso que o Dia ANEC possibilita essa diversidade de possibilidade de ações completas com os nossos alunos, com os nossos docentes; ela ajuda nessa organização, ela amplia caminhos, amplia espaços, amplia oportunidades.” (Maria de Fátima Abreu Avelar – Instituto de Educação Beatíssima Virgem Maria)

 

“O tema da CF – Fraternidade e Políticas Públicas – é muito pertinente na conjuntura nacional que vivemos para que de fato se estabeleça um novo Brasil e uma ordem social que atenda os mais “pobres” e quem precisa. A educação tem um papel preponderante para trazer a tona esta consciência, portanto, conversar, discutir no âmbito nacional com os meninos, com os adolescentes é de vital importância para formar essa consciência sobre a cidadania e a corresponsabilidade de nós enquanto nação brasileira.

Eu entrei em contato com a ANEC após assumir o Colégio Nossa Senhora dos Remédios, procurei interagir no âmbito dos valores do que a ANEC promove de melhor e no âmbito da formação, inclusive a da gestão. Então a ANEC sempre realizou uma interface e creio que uma estância de uma organização fundamental para a educação católica do Brasil protagonizar uma nova educação que seja gerada no âmbito das escolas, mas por uma articulação maior que é a ANEC frente as estâncias publicas da nação e dos Estados e dos Municípios.

Eu entrei em uma Escola que é a Nossa Senhora Dos Remédios e eu nunca havia atuado em escola, em educação, na parte institucional de uma instituição. Eu entrei, brinco, com o pai nosso e a ave maria, fui aprendendo internamente, fui me informando através de cursos, fui visitando escolas, agreguei um certo conhecimento que me possibilitou realizar um desenvolvimento diante de uma Escola que estava destinada a fechar; agora nós protagonizamos um novo horizonte e agora ela está estável, porém aspectos vitais no meu ponto de vista, nós das escolas católicas precisamos profissionalizar a gestão e instituir no nosso meio níveis de gestão compartilhadas estratégicas, ou seja, o Diretor, o Presidente , uma Gerente não podem atuar isolados, tem que ter uma equipe de gestão estratégica e profissionalizada, por outro lado é irrenunciável resgatar o nosso carisma. O nosso Dia ANEC de escolas católicas no âmbito da missão, visando e valores, este é o nosso diferencial associado à uma gestão profissionalizada, é isso que eu estou vivenciando no Colégio Nossa Senhora dos Remédios.” (Padre Mario Pistor – Presidente das Promatina / Colégio Nossa senhora dos Remédios)

 

“O tema toca numa questão muito importante que diz respeito à duas coisas basicamente:
• O conceito de pensar política em um momento em que os ânimos estão tão exaltados, em que se fala tanto de política mesmo sem compreender exatamente do que se trata, faz falta ter pessoas dentro da sala de aula para tratar sobre esse assunto, explicar conceitos, explicar correntes políticas, explicar como funciona a estrutura política do país e como a gente dizia aqui na oficina, “lidar com os pressupostos daquilo que se precisa saber para minimamente poder falar sobre o assunto”.
• O assunto prevalentemente da Campanha vai de encontro com a outra necessidade que é lidar com as questões que estão presentes às diversas realidades que diz respeito à educação, saúde, transporte, etc. Temas que os nossos alunos acabam tendo contato pessoalmente ou temas que devem tomar contato, porque faz parte da realidade e, às vezes, de pessoas que eles não conhecem ou que acabam não tendo muito conhecimento. Entretanto, de uma maneira geral, a grande importância é poder tratar deste assunto e poder fazer os nossos alunos refletirem sobre ele.

O Dia ANEC sempre trás algo muito positivo que é a partilha e este sentimento de comunhão de participação. Quando a gente fala desse grande projeto que a ANEC tem de criar uma “Rede em Redes”, isso fica de uma maneira muito bonita concretizado em um dia como esse em que todos nós educadores de diferentes instituições educativas, de diferentes colégios, diferentes regiões de São Paulo, nos encontramos e nos identificamos com uma missão única que é a de educar segundo os valores do evangelho. Então, o Dia ANEC já trás essa grande contribuição que é a de criar esta sinergia entre as instituições. Depois, o grande privilégio de podermos discutir juntos este tema, trocar essas experiências e práticas entre as escolas trás um crescimento muito grande para todos. Acredito que a grande vantagem do Dia ANEC é essa.” (Glauco Feliz Teixeira Landin – Colégio São Francisco Xavier da Rede Jesuíta de Educação)

 

“Na verdade as Políticas Públicas existem, são muitas vezes ensejadas mas é aí que entra o grande diferencial das instituições filantrópicas que é sempre ter a questão da missão, sempre ressaltada e essa questão do projeto da ANEC “Redes em Rede” vem fortalecer cada vez mais as instituições filantrópicas.

Os educadores são convidados a capacitar-se por meio da socialização durante o Dia ANEC, o tema também é muito relevante ainda mais neste cenário que nós estamos enfrentando enquanto instituições filantrópicas onde nós temos que nos fortalecer. Eu acho que hoje em dia no cenário que nós estamos enfrentando, neste cenário extremamente vulnerável, acredito que na verdade a palavra é fortalecimento e esses trabalho “Redes em Rede” vem realmente contribuindo para tudo isso.” (Lilian Alvez – Coordenadora Geral de Serviço Social da Mantenedora Congregação Santa Cruz e Sociedade dos irmãos da Congregação Santa Cruz)

 


Leituras relacionadas

Remodal