Notícias

ANEC participa de reunião na ABMES sobre Diploma Digital

21/02/2020
Por  ANEC Comunicação

O debate sobre a implementação da plataforma de digitalização dos diplomas universitários está a todo vapor. Nesta quarta (19/2) o Fórum Ampliado de Ensino Superior se reuniu, na sede da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES), para discutir os próximos passos para a concretização Diploma Digital, que ainda precisa superar obstáculos e esclarecer dúvidas. A ANEC participou da reunião representada pelo Diretor Presidente, Ir. Paulo Fossatti, e pelo Secretário Executivo, James Pinheiro.

Atualmente o diploma físico leva aproximadamente 90 dias para chegar aos formados. Com a nova proposta esse prazo cairia para menos de 15 dias. Diminuindo a burocracia, a versão digital dará mais agilidade ao processo. O novo certificado conta com uma tecnologia que possibilita a sua validação e a sua preservação ao longo dos anos, podendo ainda ser acessado pelo celular ou computador.

O Diretor Presidente da ANEC, Ir. Paulo Fossatti, considera importante a agilidade no processo de emissão dos diplomas que essa plataforma trará e que, inclusive, a ferramenta dificultará fraudes. “É uma plataforma séria, segura e confiável. Resolve problemas de fraude, morosidade e preços do diploma”. Segundo ele, a Universidade La Salle já teve diplomas falsificados. Fossatti ressalta que dúvidas, sobre a manutenção e a implementação dessa plataforma, precisam ser esclarecidas e complementa que ela deve estar imune a problemas técnicos como bugs e falhas, já que cerca de 2300 instituições de ensino irão utilizá-la para a emissão dos certificados.

O reitor da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Waldemiro Gremski, destaca que, apesar do debate sobre a digitalização das certificações vir em momento tardio, sistema esse que já deveria ter sido implementado, a necessidade dessa tecnologia ainda se faz presente. Afirma ainda que a evolução dos crimes cibernéticos não deve ser empecilho para o desenvolvimento do projeto. “O Cybercrime está evoluindo junto com a tecnologia, mas temos que correr o risco, já que também ocorre crime no papel”. Pesquisa da Universidade Federal de Santa Catarina aponta que, por ano, cerca de 100 mil diplomas são falsificados.

O representante da Associação Brasileira das Universidades Comunitárias (Abruc), Ney Lazzari, lembra que algumas instituições precisarão adaptar suas estruturas e preparam seus profissionais a utilização da plataforma. O grupo se reunirá nessa tarde com o Ministro da Educação, Abraham Weintraub, para atualizá-lo sobre o andamento do projeto de discutir os próximos passos.

Fonte: João Vitor Silva Daniel/Assessoria de Comunicação


Leituras relacionadas

Remodal